terça-feira, 12 de outubro de 2010

Bispo Manoel Ferreira leva Marco Feliciano ao pináculo e ele pula!





Antes de tudo vamos esclarecer certos pontos.

Entrevistar o Marco Feliciano foi pra mim motivo de alegria e vitória:

(1) Valeu pelo orgulho profissional de tê-lo feito admitir seus erros doutrinários e meninices no púlpito, o que até então nenhum jornalista havia feio.

(2) Valeu por ouvir do próprio que muito do que se vê nos gideões de internacionais são fraudes, em especial, os eventos tratados nos vídeos que veiculei e produzi. Fui muito acusado e amaldiçoado por estar “brincando com coisas do ES”; quando na verdade meu coração dizia que eram fraudes. Acho muito fácil agora certas pessoas virem aqui para bater palma para o óbvio, mas muitos, antes, me acusavam de levantar falsos e brincar com a fé alheia... Hipocrisia, covardia e inveja são os pecados que mais desafiam o povo cristão, dizem a Bíblia e as evidências.

(3) Valeu por conta do futuro. Como disse o Pastor Altair Germano, tais confissões servirão para fazer refletir uma geração contaminada por estes erros. Valorizam a importãncia do discipulado e da formação nas AD.

(4) Valeu porque não peguei leve com ele, e prometi não lhe dar indulto futuro. Melhor ainda, me senti feliz por me ver capaz, em Cristo, de aceitar diferenças e motivar um irmão que estava em erro a ir para frente no seu acerto com seu ministério. Abraçar alguém que critiquei duramente e ouvir dele que a crítica que fizemos  (e da forma que fizemos) foi edificação na sua vida. Tem gente que ficou mordido por conta disto, sugestão: Ora que passa! E saibam: Feliciano não foi o único tem outro peixão na rede, aguardem.

(5) Valeu porque fiz o meu papel de cristão de ouvir, crer (na) e desejar a mudança . Oro por quem critico, segundo as Sagradas Escrituras, vou seguir fazendo assim. Não sou como certos personagens da blogosfera que desejam jogar na fogueira até mesmo os arrependidos. se de fato não o são, que Deus tenha com eles!

(6) Valeu porque fui incisivo, botei o camarada em saia muito justa, mas o tratei com o respeito que a  ocasião exigia. Teve gente que achava mesmo que eu devia ter saído na mão com o Feliciano. Esta turma é cristã mesmo... Sério? Muito melhor foi ver o Marco repudiar a teologia da prosperidade e outros modismos de nossa igreja. Este momento irá edificar muitos jovens pregadores, como disse outro grande lider da AD.

(7) Valeu porque fui honesto, busquei o entendimento, pedi o diálogo, estendi a mão e jamais vou me arrepender disto. Mostrei que respeito muito os irmãos pentecostais, sou, eu mesmo, quase pentecostal, risos,  e minha crítica é pontual de certas práticas espúrias, que em nada são pentecostais. Tenho o respeito e a amizade de líderes pentecostais, o que certos outros algozes impedernidos, eternos  revoltados, não tem... Sorry periferia.

Afinal, devemos julgar sim, mas segundo a reta justiça. Se o irmão é admoestado, se arrende e depois erra, quem o admoestou, consolou e motivou não é responsável pelos erros futuros do irmão a quem serviu em Cristo. Quem pensa diferente é tolo, perverso e, acima de tudo, não é cristão, mesmo que se esconda sob um manto de missionário ou pastor.

Quem não sabe perdoar, mil vezes, confiar na mudança mil vezes... Bom, acho que já está bem-dito.

Genizah não deve coerência a quem se acha verdugo de Deus. Estamos aqui para alertar, de todas as formas possíveis, para que nos façamos ouvidos. Muitos estavam cegos e surdos,  mas desta  nossa forma nossa bagunçada, bem humorada, ouviram e viram. Tenho meus conselheiros, não preciso dos conselhos dos mediocres invejosos.

Mas é só. Somos os críticos, não executores. Somos protestantes, não intransigentes irrasíveis. Julgamos o que dizem os falsos profetas. Alertamos. Avacalhamos. Chutamos o pau da barraca,   mas não sentenciamos, tão pouco somos os carrascos de Deus.

Aos que querem apenas destruir e não dão chance ao construir. Para os que querem bater, mas  não querem ouvir o arrependimento do admoestado, pois isto não dá IBOPE. Passem a outro blog. Aqui o nosso limite é o momento em que o criticado se coloca a pensar. Nosso limite é a vontade do Senhor Jesus, não as conveniências ou opiniões do blogueiro A ou B. Nesta hora, estamos com o quebrantado, enquanto assim for verdade. Pois assim o Pai nos disse para fazer.

Bem assim, se o Feliciano fez bobagem sou o primeiro a apontar.

E para começar, já me mostro bem mais informado do que os bloguinhos que chutam a santa sem ao menos saber o porquê. Sem fontes, pois queimam suas pontes, não tem contatos, noticiam "achismos". Não há toa, estão ladeira abaixo na audiência e escondem os números da sua própria soberba envergonhada. São desinformados. Nunca dão um furo de notícia, apenas dão furo n'agua ou cospem no prato que comeram. São irrelevantes.

Dito o bem-dito, vamos ao tema do título do post.


Bispo Manoel Ferreira leva Marco Feliciano ao pináculo e ele pula!


Se Feliciano vota Dilma, farofinha, Serra ou Babalu, problema dele, de quem votou nele e se ele por acaso rompeu algum compromisso antes da eleição.

Eu, por exemplo não gosto muito deste negócio de pastor deputado. Quando se entra para a política, melhor é aposentar o pastor. Opa! Minha humilde opinião! Tenho direito a uma?

Feliciano prometeu votar em Serra e depois mudou pra Dilma, de última hora, como fez Malacraia? Ao que parece não!

O pastor "A" não gosta da Dilma e demoniza quem vota nela? Tenha senso de ridículo e separe as coisas. Eu estou aqui  louco para dizer que não voto nem em Dilma, nem em Serra, muito pelo contrário. Mas me calo. Quem usa o seu blog pastoral para fazer campanha politíca deve pensar duas vezes, sobre o que poderá vir a falar depois sobre politicagem na igreja. Mas tem gente que é chata assim mesmo. Gosta de decidir sobre o que voce pode ler, como deve ler, em quem votar... E quem não concorda com sua opinião é demonizado, seja lá sobre o que for, sua santa opinião é lei. Ah! Faça me o favor! Tá querendo ser mais do que pode. Comigo não se cria.

Pode um líder ter candidato? Eu creio que pode! Opa! Minha opinião. Posso? Pode uma igreja ter um candidato? Eu acho um risco imenso. Não deveria ter, mas já houve momentos.na história  que isto foi necessário. Mas deixa isto pra lá. Isto é assunto para muitos artigos e longos debates.

Resumo assim: Para mim pastor se vira politico, abandona o pastorado. Lider pode ter candidato, como qualquer cidadão. Tem também o direito de expor a seu rebanho o seu candidato e os motivos da escolha. Mas não pode pedir voto de cabestro, pois abusa de sua autoridade e a coloca em risco. Minha opinião!  PossoRespeito outras. Não demonizo ninguém. 

Aqui não defendemos nem A e nem B. Eu sei em quem eu voto, cada companheiro daqui também sabe. O Genizah só se expressa contra a iniquidade. É só.

O pastor-deputado vendedor de consórcio, que eu saiba, nunca se comprometeu no primeiro turmo com qualquer dos candidatos. De maneira que, como respeito a democracia, não faço juízo de suas escolhas, mas tenho algumas considerações a fazer sobre suas razões.

De fato, tenho coisas bem mais consistentes a dizer. Fatos jornalísticos, não mimimi de bloguinho mal informado:

1) Feliciano tinha (e tem) sua carreira ministerial atravancada na CGADB, que é onde ele gostaria de estar, mas devido ao passado de frívolas meninices, foi sistematicamente cerceado, a ponto de não ter filiação recusada duas vezes pela COMADESP. Mereceu o castigo, agora que corra atrás do prejuízo.

2) Silas Malacraia fechou o esquema de suas lojas para ele também. Razões? Eu sei, mas, isto dá outra postagem, fiquem no aguardo que conto depois. Vamos ver se o moço sonso é bem informado e conta antes...

3) O circuito do Marco Feliciano, que é pregador na essência eram as outras A.D., pentecostais independentes e um namoro que exigiria muito compromisso com o bispo Manoel Ferreira.

Então vai a história:

Deputado eleito, mas precisando movimentar seu ministério também, Feliciano foi passear no pináculo com o satânico Manoel Ferreira, agora discípulo do Reverendo Moon da seita da unificação, veja vídeo a seguir:




Papai desta doce criatura do vídeo abaixo.












Eu não sei o que se passou no pináculo e nem quantaos reinos (ops, igrejas) lhe foram oferecidas, mas duas coisas todos vimos:


1) Feliciano teve seu culto de ação de graças no Brás, de Samuca Ferreira.

2) Feliciano adotou a candidata do único líder evangélico, bispo manoel Ferreira,  que escolheu a Dilma, tirante o Macedo, que não é nem cristão, claro.

O que se conclui do episódio? Ou Marco Feliciano tem um hiper super plano secreto para defender as causas dos cristãos que o elegeram, não na oposição, mas nas próprias hostes petistas valendo-se de seus muitos votos; ou agora ele come na mão do bispo maçon do revererendo moon: O maledeto Manoel Ferreira. Seja para não fazer parte do chamado baixo clero, os deputados neófitos do congresso, seja para não ser um pregador sem boas igrejas. Dois coelhos, uma cajadada e uma união da pior qualidade com a família Ferreira.

Eu estou ouvido e assuntado por ai, sabendo mais digo a todos. Por enquanto lamento.


Danilo Fernandes, postou no Genizah


Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/2010/10/bispo-manoel-ferreira-leva-marco.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+Genizah+%28Genizah%29#ixzz12A0L5QJ9

Nenhum comentário:

Postar um comentário