quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Eu? Como Daniel?





                     "Pode jogar"! Ordenou assim o rei Dario. Paro para imaginar como Dario deve ter analisado o tamanho de cada leão que estava dentro daquela cova. Talvez Daniel, após ser jogado, ainda não tivesse nem ao menos se colocado em pé dentro daquele buraco quando o rei gritou, dizendo: "O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te livrará"!
                     Talvez estas palavras tenham fortalecido ainda mais a Daniel, embora, já beirando os 90 anos, ele tivesse contemplado, muitas vezes, a ação de Deus em seu favor. Repentinamente, uma sombra começa a tomar conta da cova. A pedra é colocada como tampa e Dario e seus maiorais a selam para que ninguém viesse alterar a sentença do rei. Agora, era somente Daniel e os leões. Talvez famintos e nervosos por estarem presos em um lugar escuro . Você consegue visualizar esta cena? E se fosse você? O que iria fazer? Como iria reagir? 
                    Temos vivido momentos nos dias atuais que nos fazem sentir na posição de Daniel. O inimigo de nossa alma tem se levantado contra os filhos de Deus, contra aqueles que seguem uma vida de adoração e santidade.  O rei Dario embora soubesse que Daniel era inocente das acusações que lhe eram atribuídas (Dn 6.13-14) demonstrou claramente acreditar que o Deus de Daniel iria fazer algo extraordinário (Dn 6.16).Talvez até por este motivo, ele tenha cumprido à risca seu decreto. Fico imaginando o pensamento do rei enquanto selava a boca da cova: "Quando abrirmos esta cova novamente, ele estará vivo. Tenho certeza. Eu sei que ele serve ao mesmo Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego".  
                      O diabo conhece o poder do nosso Deus. Não quero comparar o rei Dario com o diabo. Quero apenas que você saiba que quando as lutas se tornam intensas e imensas e você já quase sem fé se vê preso em uma cova, assim como Daniel, o desejo do inimigo é selar a boca da sua cova. Ele não vai descansar enquanto isso não acontecer. O rei manifestou uma esperança de que o Deus de Daniel o livraria dos leões. Já o inimigo, manifesta somente o desejo de lhe ver destruído, maldizendo, enfraquecido, abatido e descrente. O inimigo também sabe, assim como o rei Dario sabia, que se você - mesmo não sendo tão parecido com Daniel em fidelidade, integridade, santidade - clamar ao Senhor por socorro, Ele virá com poder e grande Glória e lhe livrará. Deus não necessitará nem ao menos enviar o seu anjo. Se necessário for, Ele se moverá de Seu trono por você.
                     Daniel confiou em Deus num momento difícil e devemos ter essa mesma confiança, crendo que em tais momentos, Ele se manifestará em justiça por nós. Daniel era temente a Deus. Ele cria na fidelidade de Deus. Sabia que Deus em nenhum momento o desampararia. E você? Como se encontra perante o Senhor? Será que você pode dizer assim como o rei Dario em Dn 6.27? "Ele, (o Deus de Daniel) livra, e salva, e opera sinais e maravilhas no céu e na terra!"
                    A fé não se baseia apenas em crer em Deus, mas também em obedecê-lo, em arrepender-se dos pecados e transgressões e voltar-se para Ele com desejo de transformação e nova vivência, como numa mudança de "estilo de vida". A fé inclui ainda sincera dedicação pessoal e fidelidade a Jesus Cristo. Lembre-se sempre: a fé já está embutida em nós. Exerça-a assim como Daniel. Sirva a Deus assim como ele, e você será abençoado sempre, como ele foi (Dn 6.28).

Nenhum comentário:

Postar um comentário