quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Os dois Cristianismos


Para fazer uma séria reflexão sobre o cristianismo, precisamos nos concentrar nos dois cristianismos existentes: o cristianismo dos atos dos apóstolos e o cristianismo de hoje. Quando lançamos este olhar encontramos uma diferença abismal entre os dois. 


As transformações do cristianismo dos Atos dos Apóstolos para o cristianismo contemporâneo não aconteceram da noite para o dia.    As mudanças são resultado de um lento processo de assimilação de       práticas e doutrinas que não comungam com a proposta original encontrada nos evangelhos. 


Nós, igrejas Batistas, não aceitamos o posicionamento defendido por autores católicos que costumam dizer que a Igreja tem poder de fazer modificações e por isso mesmo evolui. Para esses pensadores não é necessário estabelecer a identidade entre o cristianismo de hoje e o do primeiro século. Não é assim que pensamos... Entendemos que o cristianismo do primeiro século deve ser o único paradigma para o cristianismo de hoje. 


Para descobrirmos a verdadeira identidade cristã precisamos apontar alguns movimentos no decorrer da história que foram alterando o formato original dessa fé. Infelizmente esses movimentos ocorreram dentro do catolicismo romano, do protestantismo e no meio evangélico, prejudicando a identidade cristã: 1º) A assimilação de escritos não inspirados, colocando-os em pé de igualdade com as Escrituras Sagradas; 2º) O desenvolvimento do episcopado que acabou levando a assimilação do papado no 7º século da era cristã criando uma função não encontrada nos evangelhos; 3º) A assimilação dos sete sacramentos já no 4º século pelo cristianismo romano, passando o conceito errado de que estes sacramentos concedem graça e benefício espiritual ao cristão.  4º) A autoridade sacerdotal como meio de validação da aplicação dos sacramentos na vida dos cristãos; 5º) A pregação e o ensino da salvação pelas obras, contrariando o ensino do Novo Testamento de que a salvação é por meio da fé (Rm.1:16 e Ef.2:8); 6º) Aceitação de outros mediadores prejudicando a crença na suficiência mediadora do sacrifício de Cristo; 7º) A ênfase no Espírito Santo e suas manifestações e não no Cristo crucificado e ressurreto; 8º) A assimilação das ciências psicológicas e sociológicas como fundamentação para a caminhada cristã. O cristianismo de vendeu ao cientificismo! 9º) O cristianismo se rendeu ao capitalismo, transformando a fé em produto e o cristão em cliente. O mercado passou a ditar os rumos da Igreja. No passado o cristianismo católico vendia perdão através das indulgências, hoje o cristianismo evangélico vende bênçãos, por intermédio de um evangelho que promete saúde e prosperidade terrena. 


Tanto evangélicos como católicos acabaram aceitando doutrinas e práticas que contrariaram o formato original do cristianismo, perdendo as características vividas pela igreja no 1° Século da era cristã.


Autor:
Pr. Samuel Biassi - PIB Bauru-SP

Um comentário:

  1. É meu caro,

    Hoje as igrejas evangelicas nãi estão mais em condições de criticar o catolicismo por associar a tradição ás Escrituras, pois também em nosso meio muitas coisas foram introduzidas que não tem fundamentação escriturística e fogem ao princípio de Sola Scriptura.

    Pb. Edinei, Th.B

    ResponderExcluir