quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

A sinceridade do coração de um adorador



Que a paz do Senhor seja com cada um de vocês.

Aprendi muito com o artigo do mês passado. Muito obrigado a todos que mandaram suas opiniões a respeito. Fiquei muito feliz por saber que vocês estão praticando o que compartilhamos nesses artigos. Este mês quero tratar um pouco sobre um dos desejos que a adoração desperta em nosso coração: a mudança.

A adoração nos faz olhar para dentro de nós, e quando isso acontece, meu Deus! Vemos o quanto necessitamos ainda mais de Deus. O quanto precisamos ser transformados e limpos. Enfrentar as nossas deficiências morais nunca é fácil, principalmente quando nos vemos na situação de adorador. Deus exige uma coisa muito profunda de nós: a sinceridade.

Esses dias eu estava analisando uma das músicas que estará no repertório do cd do Ministério de Louvor Adorar’t e ela diz assim: “Minha vida, Senhor, eu entrego a Ti, para que Tu faças o que quiser de mim”. Fiquei imaginando quantas pessoas irão cantar essa canção sem nem ao menos fazer menção da sinceridade em seus corações. Quantos irão declarar essas palavras de entrega e renúncia sem nem ao menos se interessar em, realmente, se entregar ao Senhor e se oferecer como vaso. Deus exige de nós a sinceridade, e essa sinceridade pode ser muito dolorosa em alguns casos. O profundo desejo de meu coração é que através da letra dessa música, as pessoas possam realmente compreender qual é a posição que Deus quer que elas estejam.

A adoração confirma nossas intenções de obedecer a Deus. A transformação espiritual em nossa vida é Deus quem realiza. Em Filipenses 1.6 está escrito que “aquele que começou a boa obra a aperfeiçoará até ao Dia de Jesus Cristo”. Contudo, é nossa responsabilidade cooperar com a obra Dele em nossa vida. As músicas que cantamos e declaramos ao Senhor devem realçar a nossa fé e compromisso para com Ele, como voz de nossas mais profundas intenções como servos de Cristo. É mais que comum notarmos o Espírito Santo usar a adoração para nos convencer de nosso pecado. Isso já aconteceu comigo.

O meu desejo é que você faça uma análise do que você tem cantado ao Senhor e ao mesmo tempo tem apresentado a Ele através de sua vida. Nem sempre a boca fala do que o coração está cheio quando tratamos sobre a adoração. Parece esquisito isso, mas é verdade. Quantas pessoas declaram coisas ao Senhor que jamais passaram por seus corações. Lembro-me do que Jesus disse sobre “palavra ociosa” em Mateus 12.36. Ele disse que no dia do Juízo o homem irá prestar contar perante Deus de cada uma delas. Não deixe palavras ociosas saírem de sua boca. Deixe o Espírito Santo te envolver. Permita que ele te transforme em um verdadeiro servo do Senhor e adorador do Deus Altíssimo. A sinceridade será sua companheira e a adoração ao Senhor fluirá de você de um modo completo e profundo! Viva essa experiência! Deus abençoe a cada um de vocês!

Ósculos e amplexos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário